Blog

Fisioterapia Para Escoliose

Fisioterapia Para Escoliose

A escoliose é um problema na coluna que afeta um grande número de pessoas. Inclusive, essas pessoas sofrem com dores e acreditam que não podem fazer nenhum exercício, o que não é verdade.

Existem exercícios específicos para quem tem escoliose, que podem ajudar e não piorar o quadro que o paciente tem.

De fato, o tratamento da escoliose depende do grau do problema, bem como dos sintomas e a fisioterapia pode ser um forte aliado.

Vamos saber mais sobre isso.

O Que É Escoliose?

A escoliose é uma patologia comum em jovens e que, se não tratada adequadamente, poderá trazer muitos problemas no futuro.

De fato, a escoliose representa uma patologia que resulta da curvatura anormal da coluna para um dos lados do corpo, causada pela rotação das vértebras.

Pode-se observar tal deformidade olhando a pessoa de costas, a qual apresenta a coluna formando um C ou um S.

Tipos De Escoliose

Existem, basicamente, dois tipos de escoliose: a estrutural ou funcional.

O primeiro tipo, escoliose estrutural, é congênita, ou seja, vem desde o nascimento ou quando a pessoa é muito jovem e é geralmente irreversível, sendo associada a outras patologias.

Já na escoliose funcional, a estrutura das vértebras permanece inalterada, sendo a escoliose o resultante de desajustes no organismo, geralmente musculares e que tem tratamento.

Em geral, a escoliose tem caráter hereditário e genético, afetando muito adolescentes durante o período de maior crescimento, denominado surto de crescimento, atingindo mais meninas do que meninos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a causa da escoliose em 80% dos casos não pode ser determinada.

Como consequência da escoliose, o paciente pode apresentar alguns sinais típicos, como desalinhamento dos ombros, encurtamento de um dos membros, apresentando desnível em relação ao outro lado, mamilos assimétricos e costelas e escápulas mais proeminentes em um dos lados.

É sempre importante citar que, no caso de escolioses em adolescentes, quanto antes for feito o diagnóstico e iniciado o tratamento, melhor.

Existem também outras classificações da escoliose, como escoliose congênita (de nascença), pós-traumática e degenerativa do adulto.

Sinais e Sintomas De Escoliose
Dores musculares na região da coluna;
Assimetria visível dos ombros;
Um lado da caixa torácica ou uma das pernas pode aparecer menor;
Corpo inclina-se mais para um dos lados;
Sensação de fadiga nas costas, sobretudo após um longo período sentado ou em pé.

Causas De Escoliose

A grande maioria dos casos de escoliose é idiopática, ou seja, não é possível determinar ao certo qual a sua causa.

Mas dentre os casos em que a determinação da causa é possível, as principais causas podem ser:

Alterações ósseas, musculares ou neurológicas do organismo;
Postura inadequada, frequente e por tempo prolongado;
Obesidade;
Tumores;
Atividade física realizada de maneira inadequada;
Sedentarismo;
Tabagismo.

Diagnóstico

O diagnóstico de escoliose deve ser feito pelo médico ortopedista ou no caso de adolescentes, herbiatra e até pediatras podem também ter suspeita dessa hipótese diagnóstica.

Um exame clínico apurado deve ser realizado, observando o paciente de frente, de costas e pelos lados. Além disso, exames de imagem como radiografias podem ser solicitadas para auxiliarem no diagnóstico.

A radiografia também é importante para verificar o posicionamento das vértebras, se há desgaste e medir a curvatura da coluna.

No caso específico de crianças e adolescentes, existe um teste específico denominado Teste De Adams, que nada mais é do que a flexão do tronco para frente e para baixo, para deixar visível a curvatura da coluna. Esse teste é bastante útil para o diagnóstico precoce.

Tratamento Para Escoliose

Quando diagnosticada, a escoliose deve ser primeiramente tratada de modo conservador. Quando possível, é importante que a causa seja identificada, para que a doença de base também seja tratada. Por exemplo, no caso de obesidade, é imprescindível que o paciente perca peso para melhora do quadro.

De fato, o tratamento conservador envolve fisioterapia, com Reeducação Postural Global. No caso de presença de dor, o tratamento conservador também envolve a prescrição, pelo médico ortopedista, de medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos.

O tratamento cirúrgico só deve ser uma opção em casos em que o tratamento conservador não foi efetivo e em pacientes adultos, com curvaturas superiores a 50 º, associados a outros sintomas como dor forte e comprometimento de outros órgãos, como o pulmão.

Cuidado E Prevenção De Escoliose

Alguns cuidados são importantes para o paciente que já tem, bem como alguém que queira evitar a escoliose, tais como:

1 – Manter-se dentro do peso ideal para sua altura;
2 – Não fumar;
3 – Praticar atividades físicas sempre com a orientação de um profissional;
4 – Alongar-se e não manter-se em uma mesma posição por muito tempo;
5 – Evitar o sedentarismo.

Exercícios Para Escoliose

Existem diversos exercícios indicados para quem tem escoliose, justamente porque fortalecem a musculatura da coluna e do abdômen e não pioram a curvatura.

Dentre esses exercícios, o Pilates é bastante indicado, pois permite melhorar a flexibilidade, sem causar maiores danos às vértebras.

Além deles, existem outros exercícios que podem ser realizados para quem tem escoliose, com o objetivo de fortalecer a musculatura e aliviar a dor.

A seguir, descrevemos 3 exercícios simples que podem ser feitos para aliviar a dor e que auxiliam o fortalecimento da musculatura.

1 – Aviãozinho

Mantenha-se em pé. Em seguida, flexione o tronco para frente, com os braços abertos na direção dos ombros e uma perna elevada para trás. Mantenha o equilíbrio, ficando na posição por pelo menos 20 segundos.
Depois, faça o mesmo movimento para o outro lado, com a outra perna.

2 – Prancha Lateral

Exercício excelente de fortalecimento do abdômen. Deite-se de lado, deixando um cotovelo abaixo do ombro. A seguir, eleve o quadril, mantendo o braço de cima elevado. Fique na posição por 10 segundos e depois repita com o outro lado.

3 – Perdigueiro

Exercício que trabalha a coordenação e a musculatura. Fique na posição denominada de 4 apoios e eleve um braço e a perna oposta. Mantenha a posição por alguns segundos e depois execute com o lado contrário, sempre elevando o braço e a perna oposta.

Além disso, é sempre importante fazer alongamentos, que podem ser feitos deitados de costas, abraçando as pernas e esticando pernas e quadril. Os alongamentos são importantes porque auxiliam a relaxar a musculatura contraída, o que melhora o quadro de dor.

Existem exercícios específicos que cada fisioterapeuta poderá passar dependendo do grau de escoliose apresentada e o nível de dor do paciente. É sempre importante lembrara que a melhora da dor é fundamental, uma vez que o paciente não conseguirá fazer nenhum exercício em casos agudos de dor.

Fisioterapia E Escoliose

A fisioterapia tem técnicas de melhora de quadros de dor, como estimulação elétrica, massagens e liberação miofascial, que podem ser utilizadas dependendo do quadro do paciente.

Primeiramente, é necessária a avaliação do fisioterapeuta, que colherá as informações fornecidas pelo paciente, bem como avaliará o encaminhamento do médico ortopedista e os exames de imagem.

Dependendo do quadro apresentado pelo paciente, podem ser indicadas diversas técnicas, incluindo RPG, que ajuda sensivelmente pacientes com escoliose.

Na RPG, são trabalhadas posturas, com exercícios respiratórios, desenvolvendo consciência corporal e equilíbrio.

Método SEAS

Existem também o método SEAS (Scientific Exercises Approach for Scoliosis), que é um programa de exercícios individualizado, cientificamente adaptado a todos os aspectos do tratamento conservador da escoliose com base na pesquisa mais atual.

O método SEAS é um método de tratamento de escoliose que se concentra em recuperar o controle postural e melhorar a estabilidade da coluna vertebral através de exercícios envolvendo autocorreção ativa da postura escoliótica.

A autocorreção ativa é realizada primeiro através da educação do paciente e aumenta a consciência do paciente quanto à sua deformidade.

Uma vez que o paciente está ciente de sua deformidade e as mudanças necessárias para corrigi-lo, o paciente é capaz de fazer ajustes conscientes em sua postura (autocorreção ativa) para encontrar o melhor alinhamento possível da coluna em todos os planos espaciais.

O método SEAS enfoca a estabilização espinhal e a manutenção da postura através de uma variedade de exercícios de acordo com a literatura fisioterapêutica para ajudar a alcançar a autocorreção subconsciente da postura através da estimulação de mecanismos neurosensoriais de manutenção da postura.

Para curvas discretas e moderadas durante o crescimento ativo, SEAS é usado sozinho para reduzir a necessidade de reforço.

Já em curvaturas mais acentuadas, de médias a severas, durante o crescimento ativo, o SEAS é usado em combinação com reforço, a fim de diminuir a velocidade, parar e possivelmente a progressão da curva inversa.

Finalmente, em pacientes com escoliose em adultos, com curvas progressivas de escoliose ou espinhas fundidas, o SEAS ajuda a estabilizar a coluna vertebral e reduzir a incapacidade.

O método SEAS baseia-se em uma técnica de autocorreção ativa específica da escoliose realizada sem qualquer auxílio externo e incorporada em exercícios funcionais.

Outro elemento muito importante do método SEAS é a “abordagem da equipe” envolvendo o médico, o fisioterapeuta, o ortopedista e a família do paciente.

De fato, esta abordagem baseia-se na crença de que o trabalho em equipe produz maior sucesso no tratamento desses pacientes do que o trabalho de um único profissional.

Os testes de avaliação orientam a escolha dos exercícios mais adequados ao paciente individual. A melhoria da estabilidade da coluna vertebral na autocorreção ativa é o principal objetivo do SEAS.

Por sua vez, os exercícios SEAS treinam sistemas neuromotores para ativar um reflexo da autocorreção da postura durante as atividades da vida diária.

O programa pode ser realizado ambulatorialmente (2-3 vezes por semana durante 45 minutos) ou como um programa de exercícios caseiros de 20 min por dia em conjunto com sessões de fisioterapia especializadas de 1,5 h a cada três meses para avaliação contínua e modificação adaptada do tratamento terapêutico programa.

O que acontece se a escoliose não for tratada?

A escoliose deve ser identificada precocemente e tratada o quanto antes. Por isso, é importante observar, no caso das crianças, como elas sentam e se possuem assimetrias visíveis na região da coluna.

Sem um tratamento adequado, a patologia pode evoluir trazendo consigo problemas emocionais, sobretudo na adolescência.

Além disso, com a falta de tratamento adequado, a escoliose pode ter uma progressão cada vez maior, resultando, inclusive em problemas respiratórios.

Com isso, pode haver danos na medula espinhal e dor lombar na idade adulta.

Outro fator que pode ser mais frequente na presença de escoliose severa são infecções.

Finalmente, na idade adulta, a escoliose presente leva a maior dificuldade de encaixe ósseo.

Existe prevenção para escoliose?

A grande maioria dos casos de escoliose é idiopático, ou seja, não se sabe ao certo a causa, o que dificulta pensar em prevenção quando não se sabe exatamente a causa do problema.

Porém, em países desenvolvidos, existe o rastreamento da escoliose em crianças e adolescentes, justamente para identificar o problema quando o paciente é jovem.

Com a identificação precoce, antes da fase do crescimento, gasta-se menos com tratamento no futuro, bem como afastamentos dessas pessoas em função da patologia.

Exercícios físicos adequados já se provaram eficazes na redução da utilização de coletes ortopédicos, que são indicados no tratamento da escoliose.

Em estudo realizado em 2008, concebido para confirmar se a indicação para o tratamento com exercícios específicos para escoliose idiopática do adolescente confirmou a eficácia dos exercícios na redução da taxa de progressão (principalmente na puberdade precoce) e a melhorar o ângulo de Cobb.

Portanto, a prevenção da piora do quadro de escoliose, com associação do diagnóstico precoce, fisioterapia e exercícios adequados, podem melhorar muito o quadro futuro do paciente com escoliose.

Porém, é importante lembrar, que o uso dos coletes ortopédicos, dependendo do caso, é essencial para evitar a progressão da doença, sendo um método de tratamento bastante confirmado e com resultados positivos.

Conclusão

Ter escoliose pode trazer um quadro de dor e incômodo. Assim, o diagnóstico correto e tratamento adequado são fundamentais.

Existem diversas abordagens que podem ser utilizadas com o paciente com escoliose, dependendo do grau de curvatura, sintomas e evolução do quadro, desde exercícios, colete, tratamento e abordagens multidisciplinares.

Assim, é importante que o paciente procure diagnóstico precoce e tratamento adequado o quanto antes.


Voltar ao Blog

Veja outras postagens

Pilates, o que é? Saiba Tudo Nesse Post

Pilates, o que é? Saiba Tudo Nesse Post

Continuar lendo
6 Exercícios Para Manter Seus Quadris Saudáveis

6 Exercícios Para Manter Seus Quadris Saudáveis

Continuar lendo
A fisioterapia e psicologia andam lado a lado

A fisioterapia e psicologia andam lado a lado

Continuar lendo
Whats -55 11 9 9274.3707