Blog

O Que É Condromalácia Patelar?

O Que É Condromalácia Patelar?

Condromalácia Patelar é um problema que acomete a região do joelho, mais especificamente a cartilagem da articulação da patela. Esse problema causa um desgaste na cartilagem, gerando dor de alta intensidade e inflamação no local.

Muito mais comum em mulheres e tendo como um dos fatores de risco o sobrepeso, pode causar dores constantes ou crises agudas.

A condromalácia patelar também tende a acometer indivíduos que pratiquem exercícios de impacto e muitas vezes pode se desenvolver com pouca ou nenhuma dor. Por isso o diagnóstico mais exato deve ser feito a partir de um exame minucioso de imagem e outros.

A seguir iremos tratar mais detalhamente dessa patologia. Acompanhe!

Entendendo a Condromalácia Patelar

A condromalácia patelar se caracteriza por uma lesão que acomete a cartilagem articular da patela devido ao atrito desta parte no osso do fêmur.

Pode ocorrer por alguns fatores, dentre eles o mais citado é um desvio no alinhamento da patela, com isso ocorre o atrito entre os membros e o desgaste que leva a lesão.

Observa-se que a dor femoropatelar advinda da condromalácia é muito freqüente e grande parte da população que a possui sente na região anterior do joelho, sendo esta apontada como uma das principais sintomatologias dessa lesão.

A condromalácia patelar pode ser classificada em diferentes graus a depender da extensão da lesão. Assim temos:

- Grau I: Quando ocorre um “leve” amolecimento da camada mais externa da cartilagem da patela.
- Grau II: Ocorrem lesões ainda pequenas mas já significativas, com até 1,3 cm de diâmetro.
- Grau III: Neste caso as lesões já acometem substancialmente a cartilagem, com extensão acima de 1,3 cm de diâmetro;
- Grau IV: Este grau traz uma erosão característica e consistente na cartilagem.

Essa patologia se manifesta mais frequentemente em jovens, em sua maioria mulheres, e com grande incidência em atletas. E quando esta última opção, costuma ocometer o sexo masculino.

Uma condromalácia patelar quando não tratada pode vir a evoluir para um caso mais complexo, como o da osteoartrose com o passar dos anos.

Por isso, a qualquer sinal do problema recomenda-se a suspensão das atividades e a procura de ajuda profissional.

A Articulação do Joelho

O joelho é uma articulação muito complexa, constituído por uma cápsula articular revestida de uma membrana sinovial cuja função é garantir a preservação da função articular. Juntamente a estes, existem ainda outros membros como as cartilagens que revestem as articulação e servem como amortecedores, evitando lesões devido as forças exercidas sobre o joelho e as estruturas ósseas.

Os ligamentos surgem juntamente com os músculos, como os principais estabilizadores da articulação do joelho.

Tendo em vista toda essa complexidade estrutural e mecânica, a exemplo da flexão quando ocorre de forma associada a movimentos como rotação, oscilação e deslizamento, é considerada a articulação mais vulnerável a episódios de traumatismos circunstanciais ou resultantes do seu uso excessivo.

Frequentemente as lesões no joelho podem estar associadas a condições de falta de condicionamento ou destreinamento, ou ainda oriundas de algum problema de alinhamento no membro inferior. Dentre as atribuições anatômicas podem ser citadas o varo ou valgo tibial ou femoral e diferença no comprimento dos membros, enquanto as lesões biomecânicas caracterizam-se por déficits em flexibilidade, desequilíbrio de forças entre agonistas e antagonistas ou técnicas/ treinamentos impróprios.

A patela é um osso localizado dentro do tendão do músculo quadríceps que se articula com a tróclea do fêmur para formar a articulação patelo-femoral ou femoro- patelar (APF), e sua principal função consiste em aumentar a vantagem mecânica do quadríceps femoral.

A condromalácia patelar, também conhecida como “joelho do corredor”, consiste em uma lesão na cartilagem articular da patela provocada pelo atrito excessivo entre a mesma e o fêmur.

A cartilagem hialina é um tecido que tem como funções resistir a forças de compressão e facilitar o movimento entre as superfícies articulares.

Contudo, pode ser facilmente danificada pelas forças de tensão, tendo uma limitada capacidade regenerativa e por ser mais comumente atingida em traumas, patologias inflamatórias e degenerativas. As alterações decorrentes dos acometimentos tendem a evoluir e podem levar à inaptidão funcional da articulação em muito pouco tempo, estando entre as causas mais frequentes de inaptidão crônica.

Por ser uma estrutura avascular, a cartilagem é nutrida pelo líquido sinovial, fato este que dificulta a cicatrização do tecido cartilaginoso por ser esta uma resposta dependente da composição química do líquido sinovial e/ou pressão articular para ajustar o metabolismo, impossibilitando a mesma de exercer uma resposta antiinflamatória.

Por conta disso, a condromalácia patelar em estágio avançado pode até mesmo contraindicar a prática esportiva, seja qual for o nível do praticante acometido.

O que traz a necessidade de um tratamento adequado, especialmetne para atletas, para evitar possíveis complicações futuras ou mesmo a suspensão definitiva da prática esportiva.

Causas da Condromalácia Patelar

A condromalácia é um problema muito comum, com alta incidência, acometendo em geral individuos em idades mais avançada e ainda mais frequentemente os indivíduos do sexo feminino que se encontram em um quadro de excesso de peso.

A medicina cita como causas deste problemas alterações biomecânicas e anatômicas como uso excessivo da articulação; encurtamento dos músculos, trauma direto; fratura; subluxação patelar entre outras.

Contudo, não há exatamente um consenso sobre as possíveis causas do problema, mas os médicos acreditam que ele esteja associado a ações como estresse repetitivo das articulações do joelho ou a uma condição muscular fraca na região do joelho e quadril, ou mesmo um trauma local.

Além disso, a idade também é um fator que leva ao surgimento do problema, uma vez que a cartilagem da articulação se desgasta ao longo do tempo causando a deterioração da função tecidual.

Para indivíduos que praticam esportes as possibilidades do surgimento do problema são ainda maiores, especialmente corredores ou praticantes de salto.

A alto impacto destes esportes causa o sobrecarga da articulação e o desenvolvimento do problema além da atenuação dos sintomas.

Fatores de Risco

Como fatores de risco para a Condropatia Patelar podemos citar:

- treino excessivo;
- fraqueza muscular na região do quadril ou joelho;
- desequilíbrio muscular, devido à falta de sinergismo entre musculatura agonista e antagonista;
- atividades de impacto;
- predisposição biomecânica;
Outras causas incluem:
- instabilidade;
- trauma direto;
- fratura;
- subluxação patelar;
- aumento do ângulo do quadríceps (ângulo Q);
- mau alinhamento pós-traumático;
- síndrome da pressão lateral excessiva;
- lesão ligamentar ou de menisco;

Não obstante, podem haver outros fatores, contudo estes são os mais relacionados à patologia.

Sintomas

O principal sintoma da condromalácia patelar é a dor, que pode ou não vir acompanhado de edema. Esses sintomas podem se agravadar com a prática de atividades esportivas que envolvam apoio com carga na flexão do joelho, ou no subir e descer escadas, por aumentar a compressão entre a patela e o fêmur.

No entanto, pode-se afirmar que dor femoropatelar não é diagnóstico para a condromalácia, a mesma pode também estar associada a doença conhecida como síndrome da dor patelofemural (SDPF), termo este mais comumente utilizado para caracterizar condições múltiplas associadas a dor patelofemural, a qual pode ter uma grande variedade de causas potenciais.

A condromalácia, portanto, é uma das causas da dor patelofemural podendo ser considerada como uma patologia posterior a SDPF, sendo que este último termo é tido como genérico e faz referência aos estágios iniciais da condromalácia, onde há possibilidade de reversão total dos sintomas.

Diagnóstico da Condromalácia Patelar

O diagnóstico desta lesão é feito através exame clínico, com avaliação dos sintomas, quando a dor acomete a região anterior do joelho, chamada de síndrome da dor femoropatelar.

Aqui o médico irá se basear no histórico clínico do paciente e complementar as informações por meio de testes específicos como o teste de raspagem ou compressão patelar.

Os exames de imagem do joelho também são indicados para compor um diagnóstico preciso, sendo a ressonância nuclear magnética (RNM) o mais indicado, por possibilitar uma visão específica do tecido condral e melhor delimitação dos graus de comprometimento da estrutura.

Além disso, também é realizada a avaliação de força muscular do quadril e do joelho e análise biomecânica do paciente durante testes funcionais como agachamento, saltos e corrida.

Importante dizer aqui, que ainda que o sintoma mais comum dessa patologia seja a dor, há casos em que ela se apresenta sem causar dor ou desconforto, por isso a opção por exames de imagem é ideal para comprovação do quadro.

Prevenção dos Sintomas

Algumas ações podem ser tomadas para prevenir o aparecimento dessa patologia ou mesmo para reduzir a incidência dos sintomas de dor, e a maioria envolve mudança de hábitos práticos diários, como veremos a seguir:

Como dito anteriormente, um dos fatores que conduzem ao surgimento dessa lesão no joelho é exatamente a sobrecarga da articulação, e o excesso de peso é um dos fatores que desencadeiam esse aumento, tornando mais propício ainda o surgimento da dor devido à lesão.

O cuidado com a postura também pode auxiliar. Ficar muito tepo com as pernas flexionadas ou paradas na mesma posição pode levar ao aumento da pressão sob a articulação. Por isso, especialmente para quem trabalha sentado, evitar se sentar com as pernas cruzadas e buscar posições que possibilitem a movimentação das pernas é aconselhável.

A aplicação de bolsas de gelo sempre são indicadas em determinados casos em que há lesões e o acometimento de dores e inflamações. Especialmente no caso de atletas, havendo o surgimento da dor é indicado o uso de compressas de gelo, observando-se sempre o determinado pelo médico ou profissional responsável.

A prática de exercícios deve ser feita com muita cautela, evitando-se esportes de impacto como salto os agachamentos, especialmente se ouver um quadro álgico. Contudo, é indicada, desde que de forma correta, uma vez que possibilita o fortalecimento dos músculos da região, ajudando a prevenir as dores.

Outra prática que pode auxiliar, especialmente para quem mora em prédios, é evitar o uso de escadas para não flexionar o joelho. No geral aconselha-se a diminuição das atividades que geram sobrecarga e que envolvam muito esforço.

Por fim, a atenção com o tipo de calçado utilizado também é relevante, além de oferecer sempre conforto aos pés, é preciso optar por calçados adequados, especialmete para a prática de esportes, optando por calçados com amortecimento. Quanto a sapatos do dia a dia, as mulheres devem optar por sapatos com saltos mais baixos.

Tratamento Fisioterapeutico para Condromalácia Patelar

Um fisioterapeuta deve ser procurado caso a condromalácia patelar seja constatada. Esse profissional será responsável por identificar possíveis desequilibrios biomecanicos, controlar a dor e o processo inflamatório utilizando técnicas como a eletroanalgesia, laserterapia, bandagens funcionais, crioterapia e terapia manual. Outra função desse profissional é corrigir as possíveis alterações biomecânicas relacionadas a um desequilíbrio muscular e ao tipo de pisada.

- Reeducação de Movimentos
- Corridas e outros Gestos Esportivos
- Técnicas de Liberação Manual do Tecido
- Técnicas Articulares Manuais
- Orientações acerca das Atividades e Sobrecargas na Patela
- Bandagem Rígida ou joelheira

Pilates na Lesão Patelar

Um tratamento muito recomendado para essa patologia é o pilates, por ser uma prática de reabilitação que não traz sobrecarrega ao corpo.

No caso de lesões de joelho, o Pilates auxilia na questão do alinhamento patelar, bem como na estabilização no quadro de Condromalácia Patelar. Os exercícios de pilates favorecem o fortalecimento e a estabilização dos músculos centrais do corpo.

E para isso, é necessário primeiro fazer uma avaliação do nível de força e flexibilidade dos grupos musculares de quem você irá reabilitar, para que daí então se dê início à prescrição e execução de um programa de exercícios.

Os exercícios de reabilitação de lesões esportivas, como é o caso da condromalácia patelar, são executados em pé, sentado, ou deitado e incluem fortalecimento dos membros inferiores, exercícios de flexibilidade, coordenação, equilíbrio, sendo todos associados à respiração, uma vez que funciona como um facilitador de estabilização e mobilização da coluna vertebral.

No caso da condromalácia patelar são inclusos exercícios de potência, força, alongamento e mobilização do membro inferior, sempre com o cuidado de evitar sobrecarga na articulação.

Caso você sinta ou conheça alguém que costuma reclamar de alguns dos sintomas citados acima, pode procurar a nossa equipe ou nos indicar para uma consulta.

Temos profissionais competentes disponíveis para prestar o melhor atendimento possível.


Voltar ao Blog

Veja outras postagens

Fisioterapia para Dor Lombar

Fisioterapia para Dor Lombar

Continuar lendo
Radiculopatia: Causas e Tratamento

Radiculopatia: Causas e Tratamento

Continuar lendo
Pilates na Gestação: Benefícios

Pilates na Gestação: Benefícios

Continuar lendo
Whats -55 11 9 9274.3707